AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores, através do email: atendimento@spautores.ptatendimento@spautores.pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

segunda-feira, 27 de março de 2017

O vento lá fora

Imagem: internet

O vento que oiço lá fora
Corre apressadamente
Não sei onde mora
Nem se conhece muita gente

Por onde passa acelerado
Deixa um frio de arrepiar
O dia torna-se pesado
E mais difícil de aguentar

Vai vento, segue em frente
Por aqui já não és preciso
Quem não concorda, mente
Ou então tem pouco siso.

                                                                              

quinta-feira, 23 de março de 2017

Padeço de enorme vazio

Imagem: internet

Padeço de um enorme vazio
Da alma e do pensamento
Não tenho calor nem frio
Nem conheço o meu talento

Está vazia a meta
E o trajecto a seguir
Perdi de vista a seta
Não sei como reagir

O vazio é quem comanda
Roubou-me o significado
Não faço parte da banda
Do mundo fui isolado.

                                                            

terça-feira, 21 de março de 2017

Dia Mundial da Poesia (21 de Março)

Imagem: internet


Ser poeta é ser actor
sem filme onde representar
ser poeta é sofrer de amor
quando nem sequer se sabe amar

Ser poeta é ser mentiroso
porque nas mentiras pode haver verdade
ser poeta é compartilhar a vida
e mesmo assim morrer de saudade

Ser poeta é não saber falar
porque a escrever o mundo é maior
ser poeta é alimentar os dias a pensar
porque assim as palavras saem melhor

Ser poeta é estar doente
sem dor nem mal se sentir
ser poeta é ser confidente
dos fantasmas que nos insistem em perseguir

Ser poeta é lutar desarmado
numa guerra que nos invade a cabeça
ser poeta é viver isolado
sem a ilusão de que alguém apareça.