AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores..pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

quarta-feira, 26 de agosto de 2009



Por que não perguntas às rosas
com calma e delicadeza
sendo elas tão bondosas
não partilham a sua beleza?


Por que não perguntas às rosas
com paciência e dedicação
mesmo que as tratemos com carinho
acabam por nos picar a mão?


Por que não perguntas às rosas
com cuidado e com licença
tendo elas cores tão variadas
entre elas não há diferença?

QUERO VOLTAR AO TEMPO...





Quero voltar ao tempo
das mensagens escritas à mão
quero voltar ao tempo
de percorrer a pé o alcatrão


Quero voltar ao tempo
em que um olhar tudo dizia
quero voltar ao tempo
em que a palavra tudo valia


Quero voltar ao tempo
de matar saudades pelo correio
quero voltar ao tempo
em que dizer o que sinto não era feio


Quero voltar ao tempo
onde jogar ao berlinde era um desafio
quero voltar ao tempo
de brincar na rua sem calor nem frio


Quero voltar ao tempo
do tempo em que era tão simples ser feliz
quero que o tempo me dê sempre tempo
para ter tempo de ser o quer sempre quis

terça-feira, 11 de agosto de 2009

VIZINHAS


Vou a descer a rua
Com um ar de tanto faz
E é ver as vizinhas
Todas a olhar para trás

E vem o disse que disse
E o conta aqui, diz acolá
Descer esta rua é uma aventura
Até para o próprio Alá

É vê-las à espreita à janela
Com a porta entreaberta
Tudo o que sai cá para fora
É mexerico na certa

Vizinhas da rua de cima
Da de baixo e da do lado
Vizinhas, venha a vós a mentira
Como os cafés no Chiado

Vou a subir a rua
Com ar de não quero saber
Vizinhas falem à vontade
Porque o que é bom é para se ver
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...