AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores, através do email: atendimento@spautores.ptatendimento@spautores.pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

terça-feira, 27 de outubro de 2009



Com o coração posto em Ti
E os olhos postos no Céu
Te agradeço Nossa Senhora
Por cuidares de tudo o que é meu

Com as mãos junto ao peito
E com a alma na voz
Te agradeço Nossa Senhora
Por nunca nos deixares sós

Te agradeço Nossa Senhora
Por todas as noites que chegam ao fim
Porque no primeiro raio de Sol
Já sei que Estás a cuidar de mim

Obrigado pela paciência
E por me guiares no caminho
Perdoa pelas vezes que Te chamo
Mas o fardo não fica leve sozinho

Minha Nossa Senhora, minha Mãe
Senhora daqueles que andam à deriva
Peço-Te que sempre tenhas uma mão
Para estender a quem se vê sem saída

sexta-feira, 16 de outubro de 2009



Será crime viver os dias
Saboreá-los com tanta claridade
Deixando a noite sozinha
A tentar lutar contra a igualdade

Será crime adorar o Sol
Querer o conforto do seu calor
Quando uma tarde de chuva
Nos dá um arco-íris multicor

Será crime querer só sorrisos
Porque rir faz bem ao coração
Se as lágrimas, muitas ou poucas
Têm mais sentido, nascem da emoção

Se é crime preferir as primaveras da vida
Aos invernos de aspecto suspeito
Então considero-me testemunha
De um crime mais que perfeito


Eu sou tu
E tu és eu
Quem fala agora
Falas tu ou falo eu?

Se tu és eu
E eu sou tu
Quem começa primeiro
Começo eu ou começas tu?

Como eu sou tu
Logo tu és eu
Temos que decidir
Se sais tu ou se saio eu

Já estou confundida
Se és tu ou se sou eu
Vamos mas é acabar com isto
Vai lá tu que depois vou eu