AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores..pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Voltaste

(imagem retirada da internet)


Regressaste numa manhã soalheira
E ao passares à minha beira
O teu sorriso ficou iluminado
Não olhamos para trás
Como tanta gente faz
Dissemos tanto sem ter falado

Mais tarde nesse dia
Já quase anoitecia
Quando nos cruzamos na rua
As palavras fluíram normalmente
As frases formaram-se eloquentemente
Voltaste a ser meu e eu a ser tua.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

VAZIO E SOLIDÃO

(imagem retirada da internet)

Às vezes o vazio é enorme
Tudo consome
Sem olhar a meios
O silêncio faz-lhe companhia
A alma fica mais fria
E a vida aceita perder os freios

A penumbra impera
Nos dias de solidão
A presa cedeu à fera
A luz perdeu para a escuridão

Os ossos sentem o frio
Que gelam sem piedade
Volta de novo o vazio
Insiste em levar-me a sanidade

Apelo à coragem
Por mais uma viagem
Sem forças não consigo seguir
A fé começa a esvair-se
A esperança a partir-se
O pesadelo volta a assumir

Sou um pedaço de pedra
Ao pó irei regressar
Vou sobrevivendo como a hedra
Trepando para tentar escapar.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

FORÇA DE VONTADE

(imagem retirada da internet)


Acordar de sorriso rasgado
Bem humorado
Com vontade de vencer
Sacudir as más energias
Recarregar baterias
E sem medo fazer acontecer

Encontrar a felicidade nos pormenores
Tornar os pequenos maiores
Só depende da força de vontade
Agradecer os ensinamentos
Os bons e os maus momentos
Reger-se pela linha da verdade

A vida sabe criar labirintos
Mais simples ou mais distintos
Há que os saber percorrer
A meta só se atinge no final
Importa ser original
E nunca deixar de aprender.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

LINDO

(imagem retirada da internet)


É lindo quando o sol me vem dizer
Que eu ilumino mais que a sua luz
É lindo quando a chuva, sem esconder
Me diz que sou eu quem a seduz.

É lindo quando as rosas do jardim
Desabrocham só para me poder falar
E quando estão assim junto de mim
Dizem que o meu sorriso as faz corar.

É lindo quando a noite ao cair
Junta três estrelas na minha direcção
Diz que não há melhor para me definir
Que a sensibilidade, a força e a dedicação.

É lindo quando perco a noção
Do que lindo pode parecer
Mas não há mais lindo que sentir o coração
Bater cá dentro, por tão lindo já ele ser.