AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores, através do email: atendimento@spautores.ptatendimento@spautores.pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Dia da Escuridão

Imagem: Internet

Hoje é o dia da escuridão
Do medo e da solidão
De passar a ponte quebradiça
A angústia veio de mansinho
Apertando o colarinho
Sempre com ar de mestiça

Hoje é o dia da escuridão
De chorar sem ter razão
Até secar a garganta
O rancor trouxe companhia
De seu nome teimosia
Mas que triste planta

Hoje é o dia da escuridão
De respirar com aflição
De aprender a ripostar
Hoje é dia de içar a espada
Não se nasce derrotada
Hoje é dia de lutar.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Dia de Chuva (Poesia Infantil)

desenho feito por Lucília Mendes


Hoje está a chover

O chão está todo molhado

Não posso ir à rua ver

Se não fico todo encharcado.



São tantas gotas de água

Que caem da senhora nuvem

Nem as consigo contar

De tão depressa que fogem.



Acho que vou ficar em casa

A ver as horas passar

E vou inventar brincadeiras

Até a chuva acabar.



Se calhar vou ler um livro

Fazer um desenho

E até dormir

O que importa é não desanimar

E acima de tudo me divertir.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Será assim?

Imagem: internet

Cedo se faz tarde
E depressa passa o dia
O fogo melhor arde
Quando tem companhia

Cedo chega a manhã
Para quem tarde se deita
Quem tem cheia a sua sertã
Foi feliz na sua colheita.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

A boneca Cila (Poesia Infantil)

Desenho feito por Lucília Mendes

A boneca Cila
Gosta de brincar no jardim
De usar vestidos bonitos
E do cheiro do alecrim

A boneca Cila
Tem um animal de estimação
É um gatinho amoroso
Que se chama Pião

A boneca Cila
Já faz contas de somar
Adora escrever aos amigos
E também gosta de estudar .

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Fomos Passear

Imagem: internet

Hoje é o dia do nosso passeio
Vesti a camisola de gola alta
É pena o dia estar um pouco feio
E o sol faz-me tanta falta

Combinámos no apeadeiro
Meia hora antes de embarcar
Já sei que vou chegar primeiro
Os meus nervos não me deixam atrasar

Vou levar guarda-chuva e gabardine
Nada pode estragar o meu vestido
Até parece que vamos de limousine
Mas o nosso amor tem de ser contido

Quando te vi chegar a correr
Usando as tuas sapatilhas encarnadas
O meu coração quase parou de bater
É bom quando as alegrias são partilhadas

O comboio partiu na hora certa
E fomos todo o percurso a cochichar
Entrava a brisa pela janela aberta
E o sol acabou por espreitar.


sexta-feira, 16 de junho de 2017

Bem Bom

Imagem: internet

Bem bom é comer gelado
E não sentir pecado
Com tanta doçura
Bem bom é chorar a rir
E sem saber p’ra onde ir
Partir numa aventura

Bem bom é andar a pé
Ser diferente da ralé
E jogar sem batota
Bem bom é uma corrida
Ter a água como bebida
E terminar numa cambalhota

Bem bom é tratar a amizade
Como a outra metade
Aproveitando o dia de sol
Bem bom é estar à lareira
Com amor à beira
Afastando o briol.

terça-feira, 13 de junho de 2017

Santo António



imagem: internet

O teu admirável dom como pregador
Exercia fascínio sobre as multidões
A defesa do pobre e a reprimenda do rico
Assim eram os teus valiosos sermões.

Santo pelo povo venerado
Padroeiro dos pobres e oprimidos
És por todos muito festejado
Obrigado por atenderes nossos pedidos.

Não há casa que não te venere
Nos seus oratórios enfeitados
Padroeiro de quem trabalha arduamente
És um dos Santos mais amados.

Santo António te invocamos
Para achar coisas perdidas
Protege o lar onde habitamos
Ajuda-nos a sarar as feridas.

Tens ao colo o menino Jesus
Companheiros na cumplicidade
Santo António ilumina-nos com a tua luz
E guia-nos no caminho da verdade.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Pedra no Caminho

Imagem retirada da internet

Encontrei uma pedra no caminho
Deixada propositadamente
O meu medo ficou sozinho
E eu não soube seguir em frente

Dei-me por derrotada
Não consegui atravessar
Sinto-me abandonada
E sem forças para lutar

Ainda não me eduquei
A desviar-me da gravilha
Não é difícil, eu sei
Mas caio sempre na armadilha

Hei-de ganhar força e coragem
Para jogar a pedra fora
Até lá sigo a minha viagem
Sem saber onde o heroísmo mora.

terça-feira, 6 de junho de 2017

A Simpatia está em extinção

Imagem retirada da internet

Já não reconheço simpatia
Nos gestos de quem me rodeia
É toda uma antipatia
Querendo ter plateia

A simpatia não aparece
Está em vias de extinção
Não sei do que padece
Se está enferma ou não

Tenho imensa saudade
Da simpatia gratuita
Virou tudo celebridade
Com rasgos de troglodita.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

A minha Infância


Crescemos a brincar na rua
E a aprender com a derrota
Eram nossos, o sol e a lua
E ninguém conhecia a batota

Comprávamos papel colorido
E fazíamos os nossos papagaios
O dia, esse era mais divertido
Era tão simples ser catraio

No jogo das escondidas
O riso era contagiante
Havia quem pregasse partidas
E era apanhado em flagrante

As cordas que tínhamos, para saltar
Ferramentas dos trabalhos
Eram as que se usavam para atar
Os molhos de lenha e de galhos

Podia ser simples e pobre
A infância onde orgulhosamente cresci
Mas não conhecendo mais nobre
Foi a felicidade com que vivi.